Novidades do 1.º Semestre de 2018 Janeiro 23, 2018 – Categoria: Novidades, Sem categoria

Ao entrar no imenso mar da literatura construímos o nosso catálogo. Procuramos grandes livros, clássicos intemporais, obras-primas, títulos que nunca foram publicados em Portugal. Em alguns casos, rasurados pelo tempo, revelam-se autênticas novidades, espantos editorais, deslumbres literários. De todas as proveniências e em todos os géneros, teremos, no primeiro semestre de 2018, romances, contos e ensaios de Joseph Roth, Shirley Jackson, Julio Cortázar, Elias Canetti, Czesław Miłosz, Dino Buzzati ou Magda Szabó. Ler pode causar independência. É para isso que trabalhamos todos os dias.

 

JANEIRO

Confissão de um Assassino – Relato de uma noite, de Joseph Roth

Um dos romances mais famosos de Joseph Roth, jornalista e escritor austríaco, nascido em 1894 e falecido em 1939. Judeu, combateu na Primeira Guerra Mundial e denunciou os avanços sanguinários do regime nazi. Nas suas obras encontramos um admirável fresco da Europa das primeiras décadas do século XX. Como diz o subtítulo, Confissão de um Assassino é o relato de uma noite, de uma fuga, de um crime.

 FEVEREIRO

A Maldição de Hill House, de Shirley Jackson

Publicado em 1959, A Maldição de Hill House é uma revisitação (e atualização) das histórias de fantasmas. De resto, nos seus contos e romances, a escritora norte-americana (1916-1965) sempre procurou ambientes e personagens assombrados.

 

MARÇO

 

As Dezassete Pequenas Histórias, de AA. VV.

Antologia de 17 contos de autores sul-americanos, numa parceria com o Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa.

 

Os Prémios, de Julio Cortázar

Publicado originalmente em 1960, Os Prémios é o primeiro romance de Julio Cortázar e, em muitos aspetos, um verdadeiro percursor de O Jogo do Mundo – Rayuela, lançado três anos mais tarde. Tem como protagonistas os vencedores de uma lotaria que recebem como prémio uma viagem num cruzeiro sem destino conhecido. O mistério adensa-se ainda mais, a meio da viagem, quando os passageiros são informados de que houve um problema no navio e que não podem sair de uma área de segurança. Encarando o problema como um jogo, todos tentam perceber o que aconteceu, ao mesmo tempo que o passado (os pequenos dramas quotidianos) e o futuro (as ansias por cumprir) emergem com uma força incontrolável. Até agora inédito em Portugal.

 

ABRIL

A Língua Resgatada – História de uma Juventude, de Elias Canetti

Dando sequência à publicação em Portugal das obras de Elias Canetti, a Cavalo de Ferro edita a monumental autobiografia de Elias Canetti, Prémio Nobel de Literatura em 1981. Três volumes a lançar em 2018: A Língua Resgatada – História de uma Juventude e O Archote na Orelha – História de uma vida 1921-1931, ambos no primeiro semestre, e O Jogo de Olhares – História de Vida 1931 – 1937, no segundo.

 

A Mente Aprisionada, de Czesław Miłosz

«O tema em discussão é a vulnerabilidade da mente do século XX perante as doutrinas sociopolíticas e a sua predisposição para aceitar o terror do totalitarismo em nome de um futuro hipotético. Assim sendo, o livro transcende limitações de tempo e lugar ao explorar as causas mais profundas do atual anseio por uma qualquer certeza, por mais ilusória que seja.». Eis como Czesław Miłosz apresentava este seu livro escrito logo em 1951/52. Um estudo visionário sobre a violência política e ideológica.

 

60 contos, de Dino Buzzati

Recolha clássica dos melhores contos de Dino Buzzatti. Inclui histórias curtas nunca publicadas em Portugal.

 

MAIO

A Lã e a Neve, de Ferreira de Castro

Continuação da publicação da obra de Ferreira de Castro, um dos mais destacados escritores portugueses do século XX. Publica-se agora A Lã e a Neve, lançado inicialmente em 1947. Um poderoso retrato dos habitantes da Serra da Estrela durante a II Guerra Mundial.

 

JUNHO

Rua Katalin, de Magda Szabó

Toda a delicadeza e genialidade da escritora húngara, nascida em 1917 e falecida em 2007, em mais um romance inesquecível. Rua Katalin, de 1962, foi lançado antes de A Porta e da proibição de publicar a que Magda Szabó foi sujeita pelo regime comunista. Retrata as vidas desfeitas pela Segunda Guerra Mundial e o ambiente que se seguiu ao conflito.

 

O Archote na Orelha – História de uma vida 1921-1931, de Elias Canetti

Segundo volume da autobiografia de Elias Canetti.