Os Milagres do Anticristo

Entre as escritoras de grande talento e génio, nenhuma, na minha opinião, ocupa posição mais cimeira que Selma Lagerlöf, Marguerite Yourcenar

 

Mais nenhum outro romancista europeu consegue contar histórias tão inesquecíveis, Hermann Hesse

 

Em Roma, a velha e aterradora sibila, que conta tantos anos quantos grãos de areia têm as praias, profetiza ao imperador Augusto a visão futura de um novo culto a que a sua cidade se dedicará, a Cristo ou a Anticristo. Na colina do Capitólio, em vez de um templo destinado a si mesmo, o imperador manda erguer o santuário Ara Coeli, «o altar do céu», consagrado ao novo redentor do mundo. Uma réplica do ícone que o representa, com a inscrição «O Meu Reino é Apenas deste Mundo» passa de mão em mão, atravessando países e os conturbados movimentos políticos que marcam o novo século. Das barricadas da Revolução Francesa, a falsa imagem chega a Diamante, uma pequena localidade no sopé do monte Etna, onde é colocada no altar-mor da igreja e adorada pela população pelos milagres que parecem dela provir, até se descobrir a sua verdadeira identidade

 

Publicado originalmente em 1897, após o enorme sucesso obtido com A Saga de Gösta Berling, Os Milagres do Anticristo é um dos romances mais representativos de Selma Lagerlöf, pela primeira vez apresentado, em tradução do original, aos leitores portugueses.

Género

Data de publicação

Edição

ISBN

N.º de páginas

Dimensões

PVP

18,98 € (IVA incluído)

Seja o primeiro a avaliar “Os Milagres do Anticristo”